Graça de graça para todos

Graça de graça para todos

junho 21, 2017 Gil Morais 0

Graça de graça para todos

Por Gil Morais

Se lermos a história de Jonas de forma leviana, concluiremos que o Deus do profeta injusto por deixá-lo passar por tudo aquilo que passou, desde a tempestade até o momento em que pregou em Nínive depois do seu arrependimento. No entanto, essa pequena história nos mostra o contrário, nos surpreende com o imensurável amor de Deus por todos os povos.

Primeiro por Nínive que era uma cidade cheia de crueldade, soberba, idolatria e homens sanguinários, eles não se importavam com o povo de Deus. O Senhor amava aquele povo e por isso enviaria um servo seu para levar o povo ao arrependimento.

Mas vamos deixar Nínive e falar sobre Társis, o lugar para onde o profeta tentou fugir da vontade de Deus. Não há muitas informações sobre essa cidade, no entanto há revelações profundas sobre a vontade de Deus para aquele povo.

O livro de Jonas cap 1 no vs 5 fala que os marinheiros, embora experientes no mar, ficaram tão desesperados a ponto de fazer orações aos seus deuses. No vs 16 a Bíblia nos mostra que eles agora estavam oferecendo sacrifícios ao verdadeiro Deus e fazendo votos ao Senhor.

Ora, o que aconteceu nesse pequeno intervalo? Um homem fugia de Deus, uma tempestade acontecia por causa disso e os marinheiros foram salvos ali no meio do furioso mar.

Amados, aqui temos uma grande lição. Muitas vezes situações ruins podem ocorrer na vida das pessoas e elas precisam encontrar em nós uma “luz no fim do túnel”, não perceberemos isso se estivermos dormindo enquanto isso acontece. Jonas dormia.

Ao jogarem Jonas no mar os marinheiros viram a tempestade cessar, voltou a calmaria, então eles temeram ao Senhor e o adoraram.

O que aqueles homens diriam ao chegar no porto de Társis? Que experiência poderosa aqueles marinheiros tiveram, mesmo sem a ajuda de Jonas que era o causador de tudo aquilo. Aqui Deus é o herói da história, não o profeta.

Duvido muito que aqueles homens não ficaram ansiosos para chegar em Társis e falar ao povo tudo o que lhes tinha acontecido, de como Deus os havia livrado e acalmado o mar furioso, de como haviam passado a acreditar nesse poderoso Deus.

“Todo cristão é um missionário, ou um impostor”, disse Spurgeon. Em qual grupo de pessoas você se enquadra hoje? Somos um dos marinheiros que chegam proclamando o que Deus fizera com eles, ou somos Jonas que fugimos da vontade do Pai?

O fato é que Deus amava tanto a Nínive quanto a Társis e providenciou uma forma de salvar pessoas nos dois locais. Nosso Deus é compassivo, Ele salva pessoas que nós nunca salvaríamos, alcança vidas que para nós não merecem sua bondade. A graça de Deus é incompreensível, ela alcança o homem mais pobre e mais destituído, o menos merecedor e menos ético.

Mas de onde Deus nos tirou? Não teria sido do mesmo mundo onde estão hoje as prostitutas os estupradores, drogados, mendigos, os homens violentos e odiosos?

Não foi nas mesmas garras onde estão essas pessoas que estivemos parte de nossa vida até que fossemos alcançados pela graça de Deus?

Alguém entendeu o propósito de salvação de foi um missionário na nossa vida. Seja um missionário na vida de alguém.

O mais marginal é o que a graça mais quer abraçar, de graça.

 

Gil Morais, 28 anos, filho do Deus Altíssimo, escritor, integrante da rede de jovens da Comunidade Família da Graça, Salvador-BA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *